Jardim Gonçalves sobrevive com pensão de 167 mil euros por mês

Por ano, o ex-banqueiro aufere de 2,3 milhões de euros de reforma. Tribunal de Sintra confirmou pensão de 167 mil euros por mês ao fundador do banco BCP. Jardim Gonçalves, vai continuar a receber uma pensão superior a 2,3 milhões de euros por ano. A decisão do tribunal de Sintra foi favorável ao antigo gestor.

Além da pensão mensal de 167 mil euros vai ainda ser reembolsado em 2,124 milhões de euros por despesas com motorista, combustível, automóvel e segurança que o banco se recusava a pagar há oito anos, desde 2010. Jardim Gonçalves, hoje com 82 anos, reformou-se em 2005.

Quatro anos depois, a administração do BCP fez alterações às reformas dos ex-gestores alegando a necessidade de cortar custos. Jardim Gonçalves foi o único que não chegou a acordo e rejeitou o corte na pensão. “Desde 2005 que o BCP não tem custos com a pensão de Jardim Gonçalves porque ela é paga em 40% pelo fundo de pensões e em 60% por um seguro da Ocidental”, disse ao CM o advogado do banqueiro, Manuel Magalhães e Silva.

FONTEcmjornal.pt
COMPARTILHAR