Kathryn Mayorga APANHADA a mentir sobre CR7

A história mal contada que pode sair cara a Kathryn Mayorga. As contradições no depoimento de Kathryn. O caso é muito polémico para Cristiano Ronaldo, e está a deixar o seu nome envolto em grandes dúvidas. No entanto, muitas pessoas continuam a presumir a sua inocência, até porque Kathryn Mayorga deixa algumas dúvidas.

Queres ganhar 130€? É simples, só tens de aceder este >> LINK <<

A ex-modelo aceitou um acordo de confidencialidade no valor de 375 mil dólares americanos, em janeiro de 2010, para se manter em silêncio, e oito anos depois, volta ao caso, e Cristiano Ronaldo pode mesmo estar em problemas. Porém, o próprio depoimento da agora professora deixa algumas dúvidas, por conter algumas contradições, sobre a noite da alegada vi01ação.

A jovem, que na altura trabalhava na discoteca, aceitou subir para o quarto de hotel, convidada, supostamente, por Cristiano e amigos para irem para o jacuzzi. Mas foi no quarto, com Cristiano que tudo teria acontecido.

A jovem teria ido trocar de roupa, para ir para o jacuzzi, quando teria sido abordada por Ronaldo. O jogador teria pedido para ela lhe tocar no “malaquias”, o que ela teria recusado e perante essa recusa, ele teria dito que ela só poderia sair do quarto se o beijasse, o que ela diz ter feito.

Depois do beijo, o jogador teria ficado com mais “vontade”, relembra a ex-modelo, momento em que um amigo de Ronaldo teria entrado no quarto e perguntado: “O que é que estão a fazer?“.

Nesse momento, Kathryn teria aproveitado para se vestir, mas o que levantou dúvidas à polícia foi mesmo como é que a jovem percebeu a interação entre Ronaldo e amigo, os dois portugueses, e ela americana. ‘Será que eles falaram em inglês?’, perguntou-se a polícia.

Depois, o comportamento de Kathryn, após o alegado ataque, também foi suspeito, uma vez que a jovem foi para o jacuzzi com Ronaldo, juntar-se aos outros amigos. Na altura, Jordan teria estranhado a reacção da amiga e teria perguntado se estava tudo bem, ao que Ronaldo teria respondido: “Está tudo bem. Somos amigos”.

Certo é que Kathryn não se queixou logo e ainda foi para o jacuzzi socializar com as restantes pessoas, uma reacção que muitos acham estranha, para quem alega ter sido vi0lada.

Um conhecido advogado também levantou uma questão pertinente: “Como é possível ‘fazer o amor por trás’ a alguém contra a vontade desta, estando esta perfeitamente lúcida? É que bastava ela contrair que não entrava nada…talvez fosse de bom tom especialistas em medicina explicarem isso”.

Ainda hoje uma nova onda em defesa de CR7 está a circular à qual se juntaram milhares de homens e mulheres e que tem como bandeira “somos todos vi0lad0res”. A sustentar essa onda de defesa está o facto de a maioria das pessoas admitir que quando se trata de “fazer o amor por trás”, palavras como “pára” ou “está a doer”, ou mesmo “não”, são muito proferidas no calor do momento, e nem por isso quer dizer que as pessoas não estejam a fazer algo consentido, simplesmente dizem-no para fazer uma pausa…e não por não quererem continuar.

FONTEnoticias.com.pt
COMPARTILHAR