Vergonha: Os verdadeiros motivos por detrás do 25 de Abril

Eis a verdade que não nos contaram, não consta do programa de ensino e muito menos nos filmes que costumam passar nesta data… Este foi o verdadeiro motivo porque se deu a “Revolução do 25 de Abril” e digamos que de “motivo nobre” tem muito pouco…

Queres ganhar 130€? É simples, só tens de aceder este >> LINK <<

Otelo Saraiva de Carvalho, amnistiado por Mário Soares após ter cometido inúmeros cr1mes os quais são bem conhecidos de quem viveu nessa época, admitiu que o motivo para a revolução dos cravos não teve nada a ver com a libertação do povo. Segundo o “capitão de abril” para derrubar um governo chegam 800 militares, mas para que aconteça um “novo 25 de abril”, é preciso que os militares sejam desprovidos das regalias e mordomias que actualmente usufruem(percebe agora porque os militares são sempre ‘bem tratados’ pelos sucessivos governos?).

Entrevistado pela Agência Lusa a respeito do livro “O dia inicial” – que relata o 25 de abril minuto a minuto em detalhe – revela que actualmente os militares não se têm demonstrado descontentes com os governos. Isto porque “os militares são uns burgueses, têm salário fixo e a horas, ajudas de custo, reformas antecipadas algumas bem chorudas, assistência na saúde, etc…etc…”

No dia em que os militares começarem a perder alguns desses direitos – que a população em geral não tem – então dar-se-á uma nova revolução. “Se isso vier a acontecer é bem provável que se dê um ‘novo 25 de abril’”, afirmou.

Otelo fez questão de salientar que foram precisamente “razões corporativistas”, mais precisamente o facto de os militares contratados terem sido ultrapassados nas suas progressões na carreira pelos militares milicianos, que despoletou o golpe de estado de 1974. Isto terá acontecido porque o governo da época, por falta de militares contratados – por ter enviado muitos para a guerra colonial – permitiu a entrada de antigos milicianos.

“Esses capitães milicianos foram promovidos a majores e ultrapassaram aqueles que já estavam no quadro, e que tinham tirado cursos de quatro anos, os capitães do quadro não gostaram…”. “Quando o governo tem a infeliz ideia de mexer com os interesses dos oficiais, eles reagem. em 1974 essa reacção deu origem ao movimento dos capitães de abril, que resultou na queda de um regime que durava há 48 anos”, revelou.

Otelo Saraiva de Carvalho chamou ainda a atenção para o facto de hoje em dia existirem muitos soldados, cabos, sargentos e oficiais voluntários, e que se a eles “lhes cortarem os direitos adquiridos então está o caldo entornado”.

Questionado pelo repórter acerca se Otelo considerava possível que se reunissem as condições para uma nova revolução, o “capitão de abril” foi bem claro: “como se viu da última vez, bastaram 800 militares…mas até menos chegariam, desde que se empenhassem na causa”.

Agora que sabe os verdadeiros motivos, os “menos nobres”, vai deixar que as gerações mais novas continuem a acreditar que foi para “libertar o povo oprimido”, tal como nos ensinaram nas escolas, e nos documentários que todos os anos dão por esta altura? Ou será que vai fazer o correcto, e informá-los? Nós já fizemos a nossa parte!

COMPARTILHAR