O cérebro trabalha após a morte, ou seja…sabemos que estamos mortos! Revelado por estudo científico.

Você já se imaginou a ouvir a própria morte a ser anunciada? E aqueles relatos de pessoas que afirmam ter flutuado após a morte, você acredita neles? Crê na “luz no fim do túnel” que pacientes dizem ter visto? Pois bem, como o cérebro é uma caixinha de surpresas, os debates de experiência de quase-morte ganharam um novo capítulo.

Queres ganhar 130€? É simples, só tens de aceder este >> LINK <<

Cientistas afirmam que a consciência de uma pessoa ainda funciona mesmo após o corpo não mostrar mais sinais de vida. Isso significa que é possível termos consciência da nossa própria morte.

Em um estudo realizado pela Universidade de Nova York, uma equipe usou como referência para sua investigação pessoas que já sofreram alguma parada cardíaca ou problema semelhante e que “voltaram à vida” depois. “Eles foram capazes de descrever conversas completas de médicos e enfermeiras durante o período que os profissionais pensaram que eles estavam inconscientes ou até mesmo mortos”, disse o Dr. Sam Parnia, o autor do estudo, que posteriormente buscou alguns dos médicos para confirmar os relatos.

A morte das células do cérebro pode levar horas

Os médicos definem a morte como o momento em que o coração já não bate e imediatamente corta o suprimento de sangue ao cérebro. “Tudo é baseado no momento em que o coração para”, diz Parnia. “Uma vez que isso acontece, o sangue já não circula para o cérebro, o que significa que a função cerebral para quase que imediatamente. Você perde todos os seus reflexos do tronco encefálico, seu reflexo mordaz, reflexo pupilar, tudo se vai”, explica.

O especialista explica também uma reação em cadeia é desencadeada resultando na morte das células cerebrais. Contudo, isso pode levar horas para o ocorrer após o coração parar de bater. E as tentativas de ressuscitação cardiopulmonar, ainda que não tenham sucesso em reviver o paciente, podem levar 15% do sangue total que ele necessita ao cérebro, o que adia ainda mais a morte dessas células.

Dá para imaginar que você pode saber que está morto? Já imaginou a aflição?

FONTEbestofweb.com.br
COMPARTILHAR